Parei de ir ao ginásio e EMAGRECI!

Parei de ir ao ginásio e EMAGRECI!

É verdade! Não que me orgulhe de ter parado de ir ao ginásio, mas precisei de fazer uma pausa em relação a algumas rotinas, mesmo sabendo que eram rotinas boas.

Sempre gostei muito de fazer exercício físico, no entanto, tenho alguma dificuldade em manter-me sempre a fazer as mesmas coisas durante muito tempo seguido. Por isso, é que ando sempre a trocar a minha forma de me manter activa e saudável. Ir ao ginásio estava a começar a tornar-se monótono, porque estava sempre a fazer as mesmas coisas. E por vezes, sentia que ia com aquele sentimento de obrigação e sem vontade. Então, decidi fazer uma pausa para depois retomar com mais entusiasmo. Não parei por completo, claro. Continuo a fazer as minhas caminhadas com a Melie e quero voltar ás corridas, porque é algo que amo e sinto muita falta!

O que é que mudou afinal para ter este resultado?
A MENTE! 

Isso mesmo, mudou a minha cabeça e os meus pensamentos. Ou melhor, a forma como olho para o desporto e para a alimentação. Sabem quando vocês começam a focar-se muito em alguma coisa, mas aquilo começa a tornar-se pesado? Isso estava a acontecer comigo em relação ao ginásio. Um lado de mim adorava a parte do exercício físico, outro lado de mim sentia-se obrigada a ir por uma questão estética e do corpo. Somos facilmente levados a fazer escolhas por tudo aquilo que a sociedade nos vai incutindo. E eu estava a sentir que era só mais uma pessoa no ginásio, à procura de um “corpo perfeito”.

O que fiz:

Comecei a mudar os meus pensamentos, em relação ao desporto e em relação à comida. Não é algo que acontece de um dia para o outro logicamente, tem sido fruto de vários anos a ler sobre alimentação, nutrição, exercício físico e funcionamento da mente humana. São temas que gosto e me sinto sempre curiosa, e isso tem despertado em mim uma busca por entender melhor o funcionamento do meu corpo, ouvi-lo, saber quando parar e quando retomar.

Alguma dessa perda de peso, deve-se à perda de massa muscular, claro. Mas deve-se também a algumas mudanças na alimentação. Já tive várias fases em que comia porque achava que tinha que comer muito para depois gastar no ginásio. Achava que tinha que comer mesmo sem fome porque era assim que via algumas pessoas que treinavam a fazer. Tive também fases em que comia por ansiedade. A minha relação com a comida nem sempre foi das melhores, mas com o tempo, aprendi a ouvir mais o meu corpo e aquilo que ele me pede. Aprendi a nutri-lo por gratidão ás suas funções vitais, e isso mudou a minha relação com a alimentação.

Com isto, não quero de todo dizer para pararem de fazer desporto ou mudarem radicalmente a vossa alimentação. Muito pelo contrário, mantenham-se activos, fortes e saudáveis, com o tipo de desporto e alimentação que seja mais adequado ás vossas capacidades, aos vossos gostos e aos vossos objectivos. Um estilo de vida activo e saudável leva-nos a um corpo e mente sã. No entanto, não se esqueçam de parar quando e se for necessário para ouvirem o vosso corpo, e entender o que é que para vocês faz mais sentido, e vos faz sentirem-se verdadeiramente mais felizes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *